Os malditos 37 chegaram

O parquinho estava lotado!

O parquinho estava lotado!

Adorei o reflexo do escorregador nela

Adorei o reflexo do escorregador nela

Exibindo-se

Exibindo-se

Elas não queriam sair desse túnel de acrílico

Elas não queriam sair desse túnel de acrílico

Minha festa temática!

Minha festa temática!

Fazer aniversário é das coisas que eu mais gosto na vida. Quem me conhece bem sabe que eu adoro a data. Adoro sentir-me especial. Adoro tudo a respeito desse dia. E não me canso de repetir “Ah, faz isso pra mim… Hoje é meu aniversário” com uma voz beeeeem melosa!

Esse ano meu aniversário foi bem diferente. Foi bom e foi ruim. Foi muito feliz e bem triste. Eu sei que não foi o melhor dia da minha vida, mas também não foi o pior, claro. Mas foi diferente, bem diferente.

Fazer 37 anos, por si só, já é uma coisa estranha. Eu não encanei com os 30, mas acho que sofrerei horrores com os 40 porque já está sendo bem difícil me aproximar dessa idade. Sério. 37? Sempre falei que fulano deve ter uns 37, 38. E, para mim, isso tinha a intenção de falar que a pessoa já estava meio “velhinha”. Não velha, velha, claro, mas não era mais uma pessoa novinha. E morro só de pensar que eu não sou mais novinha porque eu me sinto novinha!

Eu não tenho um fio de cabelo branco. Eu ainda adoro me fantasiar. Eu brinco de desenhar e de Barbie todos os dias. Eu brinco de massinha, monto quebra-cabeças, faço cabaninhas. E eu brinco mesmo, pra valer. Eu não apenas estou lá com elas, eu participo pra valer. E isso faz com que eu me sinta uma menininha. Além de achar que não pareço “velha” como alguns conhecidos que têm a mesma idade, acho que pareço “novinha” como alguns conhecidos, verdadeiramente, novinhos. Hahaha Vocês devem estar me achando louca de pedra.

Mas, por favor, não digam que eu pareço uma velhinha ou eu caio durinha hoje mesmo!

Voltando ao dia, foi dureza esperar de alguns. E eu espero, sempre espero. Mas me surpreendi com coisas boas vindo de pessoas especiais. Obrigada pelas ligações e vocês sabem quem são. Acho que um pouco da espera sem resposta é culpa minha. Eu me prometi ser mais presente na vida de pessoas especiais e falhei. Não liguei quando deveria e, mal e porcamente, escrevi. Minha culpa e eu não nego. Nem adianta arrumar desculpa, não tem. As meninas ocupam a maior parte do meu tempo? Sim, ocupam. Mas ainda assim eu tenho tempo para ligar e escrever para quem merece. Peço aqui desculpas às pessoas que decepcionei, espero recuperar o tempo perdido. E às pessoas que me decepcionaram? Fazer o que? A vida segue. Eu é que tenho que aprender a não ser bobona… Quem quer liga ou, pelo menos, escreve SIM! #prontofalei (eu nunca usei essa expressão na vida, mas cabe aqui, né?)

Mas, aos 37, acho que eu posso ser considerada “velha” em um ponto de vista: estou cada vez mais certa do que importa na vida. Estou cada vez mais convicta de que precisamos de muito pouco, em termos materiais, de que as aparências muito pouco importam e de quem gosta de você, gosta mesmo, não importa o que você tem ou quem você é. Óbvio? Nem tanto. Conheço um bocadão de gente bem mais velha do que eu que pensa que fulana é chique porque o pai tem dinheiro, ou que “agrega” se você andar com a melhor bolsa do momento mas não lê um livro há mais de ano, que ter um monte de subordinados faz você superior aos outros, e coisas do gênero. E sempre lemos os mais velhos dizerem que no fim da vida sabem que o que importa não é o que você tem, etc, etc, etc. Tem gente que insiste em pensar que ter é melhor do que ser. Enfim.

Desejos para os 37: 1) Quero começar a fazer algum exercício. Meu sonho de “consumo”, de vida, era ter pique e disposição para treinar seriamente e virar corredora de rua. Pode ser fácil para muita gente, mas para uma sedentária convicta há tantos anos, é uma missão quase impossível. Gente, eu tô com barriga de quem teve 2 filhas e nunca mais fez exercício. Ou melhor, barriga de quem não fazia exercício de verdade há mais de 10 anos e teve duas filhas e continuou sem fazer exercício. Nem queiram imaginar! 2) Quero voltar a estudar, nem que seja como aluna ouvinte em alguma matéria por aqui, nem que seja num curso à distância. Quero voltar e vou voltar. Até porque, num futuro um pouco mais distante, quero voltar a trabalhar. Será bom para mim e para as minhas filhas. 3) Quero estar mais presente, mesmo que distante fisicamente, nas vidas das pessoas especiais, nas vidas de quem merece e me dá valor. E quero também aprender a dar menos bola para as pessoas que não se dão ao trabalho de me dar bola também. Sabe aquele negócio de que a gente não faz esperando, mas se surpreende quando o outro lado não tem atitude nenhuma? Não quero mais me surpreender. 4) Quero ter uma vida social. Nada muito agitado porque não tenho condições já que não tenho com quem deixar as meninas, mas quero conhecer casais, mulheres, mães, pessoas amigáveis e que queiram fazer amizade! Talvez colocar um anúncio nas redes sociais? Nos jornais? Pagar 15 segundo na tv? Hahaha Nem tanto, mestre, nem tanto… — Muitos desejos??? Impossíveis??? Torçam por mim, please, pelas realizações desses 4 “simples” desejos! Prometo fazer meu melhor para alcança-los!

Fotos: Parquinho no sábado (lotado, eu e marido, inclusive, nos questionamos se no Brasil os parquinhos públicos são vazios porque não são legais ou não são legais porque ninguém vai!), festinha do domingo. Maridão e meninas arrasaram com a festinha da Hello Kitty! A Marina escolheu o tema e o Otávio foi atrás de tudo com elas! Fizeram o meu dia!

Anúncios

13 pensamentos sobre “Os malditos 37 chegaram

  1. Você merece tudo do bom e do melhor! Ahhh como eu queria ter podido dar um pulinho ai…
    Sobre os que ñ ligaram… Sei bem como são esses questionamentos. E chega uma hora que colocamos bem na balança e acabamos eleminando alguns “pesos mortos” e perdoando algumas pessoas que realmente amamos e queremos nas nossas vidas.

    • Naile, eu n perdoo fácil, falha minha. Ainda tenho mágoas ao lembrar de pessoas q esperei tanto em meu casamento! E foi há mais de 6 anos! Hehe
      Mas adorei sua ligação e seus whatsapp! Tks, darling! Vc sabe o quanto te amo!

  2. Pois eu tb comecei a ter crise pré 40. Entendo perfeitamente o q está sentindo. Não ligo pra essa coisa de idade, mas comecei a pensar no assunto pq tenho 37, mas me sinto uma guriazinha (sim: guria, né?!!! pois sou gaúcha!!!!!). Outro dia vi um programa em q um psiquiatra falava q temos crise a cada 12 anos, mais ou menos. Aos 12, a primeira, em fç da pré-adolescência; aos 24, pq terminamos faculdade e é uma nova vida pra encarar; aos 36, a que estamos passando!!!! E deu as devidas explicações… achei q faz sentido!!!!
    E das expectativas em relação às amizades, sempre lembro de algo q vc escreveu pra mim numa ocasião: q as amizades se mantêm porque um dos lados se esforça. Sempre lembro disso, pq tb fico esperando retorno das pessoas… pq quero delas o mesmo q eu faço… então lembro das suas palavras…. e sigo…

    • Nossa, Manon! Q memória! Eu penso isso mesmo, mas é mais gostoso quando os dois lados se esforçam, né?
      Nem me fale q vc tem crise! Toda lindona, dançarina, poliglota… E eu, mulher? Rs
      Beijos e continuemos c nossas carinhas de 30!

  3. Eu ia comentar ontem, mas fiquei presa num job maldito até 2h da manhã e não consegui 😦

    Muito bom que você está pensando em voltar a estudar. Eu estou numa vibe de experimentar cursinhos online gratuitos, só pra não ficar parada. Tem alguns da FGV (http://www5.fgv.br/fgvonline/Cursos/Gratuitos) e de Yale (http://oyc.yale.edu/courses), e acabei de ver num grupo do FB um site alemão que parece promissor (https://iversity.org/). Dá uma olhada e vê se algum te empolga. 🙂

    E sobre as decepções… Eu concordo que em algum momento temos que deixar algumas pessoas para trás, porque elas já não têm porque continuar na nossa vida. Mas será que o fato de alguém te decepcionar realmente quer dizer que ela não se importa? Eu sou muuuuito rancorosa, mas tenho tentado me livrar desse sentimento e dar a quem eu gosto o meu melhor, mesmo quando eu sei que essa pessoa não vai me dar o mesmo. Às vezes o melhor dessas pessoas não é tão bom quanto o meu default mesmo.

    Especificamente sobre o aniversário, eu não fico chateada quando não me ligam, porque tenho telhado de vidro. No primeiro dia de aula no 3º ano, minha mãe me deixou no colégio e minha melhor amiga veio correndo e gritando: “PARABÉNS, TIA REGINA!!!!” Imagina a minha cara 😛 Só não faço isso nos aniversários de todo mundo em casa, porque eles me avisam “vamos sair pra comemorar amanhã” e eu tenho um tempo pra me tocar do que vai ser comemorado exatamente. 😛

    • Patyyyyy! Que feio esquecer o aniversário da sua mami! Rs Mas mamães perdoam tudo que os filhos fazem, não se preocupe! Só não perdoamos o que fazem com os nossos filhos! Hehe
      Tks pelas dicas dos cursinhos online, ainda não tive tempo de olhar, mas farei em breve. A partir de janeiro elas estarão na escola e terem bastante tempo ocioso, quero ver se aproveito da melhor forma.
      E sobre as decepções… Eu tenho dificuldade em deixar pessoas para trás, talvez pq sempre fui obrigada a deixa-las fisicamente por conta de tantas mudanças. E acho que mais importante é aprender a perdoar. Essa é a minha meta antes dos 40! Hahaha
      Beijinhos

  4. Flavinha,

    Primeiro um comentário sobre os 37… depois que eu fiz 27 anos tive a sensação que no ano seguinte pulei para os 30, ou seja, 27 já estava tão perto dos 30 que o tempo passou rápido demais e eu nem percebi. Por isso estou fazendo questão de prestar muita atenção a estes anos entre 37 e 40, para não deixar passar correndo também… será que isso pode ser considerado uma crise? 🙂

    O outro comentário é sobre a corrida: dou a maior força! Sempre fui sedentário e nunca me imaginei um corredor sério de rua. Até que eu comecei aos poucos, fiquei viciado na atividade e cheguei a correr a meia-maratona do Rio. Nunca achei que isso era possível e fazia até piada sobre o assunto. Depois o Pedro nasceu e não consegui mais manter o treino com a regularidade que eu devia para voltar a correr a meia e chegar à maratona. Mas sinto muita falta e estou voltando aos poucos.

    Parabéns pelo seu aniversário, pelo blog e por todas as suas aventuras.
    Beijos, Duda.

  5. quantos anos? 37? mas falam que aos 40 a gente se sente ainda mais segura e forte, que a idade da loba é a idade mais interessante! Querida Faiá, escrevo hoje mas saibas que te acompanho dia a dia pelo seu lindo blog. UM Beijo enorme e votos de muitas realizacoes pra vc e sua familia! Felicidades amiga!

    • Li, certamente me sinto mais segura e estou, infinitas vezes, mais forte!
      O que me dói é saber que já se passaram quase 40 anos e eu ainda quero fazer taaaaanta coisa… Rs
      Beijos e felicidades para vcs aí tb!

  6. Flávia, não dói não… Por aqui já são 59 e a lista é imensa!!! Essa lista é que torna a vida mais interessante, alegre e “valorosa”. Beijos, felicidades e nunca deixe de acrescentar ítens à sua lista…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s